sexta-feira, 27 de abril de 2012

Desejo e Reparação!

Eu compreendo o seu silêncio, a sua maneira de sentir a angustia. O jeito de você tratar o traidor. Entendo os seus motivos, as suas razões que combatem o meu não pensar. Admiro a sua maturidade diante de mim em cima de qualquer infantilidade minha. Acima de tudo entendo o seu egoísmo de pensar só em você, sim é necessário olhar para dentro de mim... Você está certo! De todas as maneiras eu tento te mostrar que preciso de você ainda, mas sei do seu tempo, sei que feridas são difíceis de cicatrizar... Eu compreendo porque sei da história!!! E eu mantenho o meu egoísmo de achar que somente está sendo pesado para mim... Perdão e mais quantas vezes forem necessárias PERDÃO. Perdão no sentido de estou muito arrependido do que fiz do lhe causei das marcas que deixei, as ruins! Ao mesmo tempo que esse perdão é sincero e genuíno, quero ir além disso: mudei e quero te mostrar isso! Trazer para você os seus sonhos, tudo aquilo que você me disse, tudo aquilo que você já sonhou e planejou e com todas as formas dentre as palavras, gestos, olhares você me disse e eu simplesmente neguei... Neguei porque estive acomodado, isso, acomodado de achar, pronto conquistei. Mas não eu estive do lado de um ser humano que precisa ser conquistado todos os dias! E eu amo isso em você, toda serenidade de enfrentar tudo isso. Como você me surpreende... O meu desespero é saber que isso pode ser o fim. Porque eu sei dentro de mim e aflorado em minha pele. Te amo e mudei, e arrependi, Te fiz sofre... Reparar tudo isso, meu maior desejo! Eu que falo tanto de direitos, assumo, você tem o direito de ser feliz comigo (meu maior desejo), com outra pessoa (desespero) ou com você mesmo dentro do seu silêncio (totalmente compreensível). Exerça o seus direitos, seja livre nas suas escolhas... E a mim cabe-me aceitar, acatar...Mesmo que eu insista em violar os seus direitos. Perdão por isso também. As mensagens, as ligações são reflexos daquilo que está tão vivo em mim, daquilo que pulsa involuntariamente em mim... Amor sem mensuração por você e o desejo de reparação. E um dia você vai ver...De uma forma ou de outra, cabe-me a obrigação da reparação... Ou mostrando isso a você como estou forte para seguir com você e ser tudo de outra maneira ou deixando apenas na memória aquilo que me fez e vai me fazer feliz pela eternidade... Eternidade, sim ela existe vivo todos os dias a eternidade!!!! Hoje eu pensei, maior em mim é o desejo de reparação ao seu lado...E involuntariamente tirar de você o sorriso, seu lindo!!! Leonardo Manyk.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

EU amo esse espaço. Amo demais. Aqui eu sinto que posso ser livre. Escrever me proporciona isso!!! Momentos bem difíceis esses últimos dias. Coração bem apertadinho, choro contínuo...Pois é aconteceu a perda Perdi, talvez não lutei demais, talvez não fui o suficiente, talvez eu fui o culpado, talvez, talvez e talvez Eu só sei que paralisei, errei, não fui, deixei, escapou!!! A dor da perda é imensa, agredido que seja igual ou pior que a traição? Enfim, a dor é tão pessoal! Sabe anos lindos, foram dois, mas lindos, intensos, superadores, verdadeiros... Eu não posso relatar aqui um momento triste, nenhum mesmo, sabe por quê? Porque todos os maravilhosos ao seu lado foram capazes de superar quaisquer outros, poucos tristes. Desabafos, falatórios, choros, implorar, joelho....nada disso pode mudar a situação ou reverter a sua decisão. Eu sei, tô prolongando algo que não deveria ser prolongado. Você desliga o telefone e eu entro em desespero. Você sabia? Meu arrependimento é sincero capaz de mudar a situação e reverter a sua decisão. Contudo, não é o suficiente, eu sei! Percebi, alias muito mais que isso, eu sinto, eu vivo, tá vivo, pulsa...Te amo e amo de verdade. Caramba, como eu vivi feliz como fui completo, como ir na padaria, ao supermercado, cinema e cama era completo e jeito de ternura, paz... Abri mão e você foi... Muito desespero, imaturo, infantil, confuso...sim perdi... Difícil nesse ponto, não tem como esconder as lagrimas elas estão aqui no teclado... Aqui nessa casa tudo lembra de você, desde o gato que eu nunca quis até o lustre. O lustre, esses dias eu fiquei olhando para ele e vendo você tirando-os cuidadosamente. Como você foi lindo, foi sincero, foi amoroso, foi verdadeiro. Como me dói saber que perdi, como me dói saber que não tem volta, como me dói... Leonardo Manyk

terça-feira, 22 de março de 2011

Vamos atravessar...!





Hoje resolvi ver o filme: Comer, Rezar e Amar. Surpreendente esse filme!
Então, como eu gostaria de saber escrever. Sabe aquelas pessoas que só pegam a caneta e escrevem textos maravilhosos, conseguem transmitir toda emoção, verdades, mentiras, conhecimentos... Ah que inveja!
Isso foi o primeiro pensamento que tive sobre o filme!
No decorrer da história percebi como somos complicados, não pelo fato da vida ser complicada, mas porque gostamos de complicar, afinal é fácil de lidar com os sentimentos e emoções? Creio que não!
O que mais me irrita são as pessoas falarem que a vida é simples, porque de fato ela é! Como eu queria ser mais paciência e menos ansioso! Apesar, entendo de onde vem tanta ansiedade, intolerância... Conheço um pouco das pessoas, gosto de analisar as suas atitudes, e vejo somos marionetes, SOMOS...!
Esse foi o segundo pensamento sobre o filme.
Cai na real que os relacionamentos são complicados, lidamos com diferenças, aceitação e confronto, ou seja, luta interna e externa, pois nos abstemos de nossas opiniões para agradar ao outro, negamos, renunciamos, porém, não conseguimos perder nossa personalidade e de forma alguma podemos nos perder. De toda maneira, amar é isso negar-se. Saber que vivemos não só, mas temos uma outra vida ao nossa lado, e digo completamente diferente de nós. Passamos por dificuldades, tribulações, tristezas, alegrias, toda a sorte de emoções que o ser humano tem. E quero aprender a dizer: vamos atravessar. Vale a pena está com você...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Conquistado o direito de errar !!!




“Eu conquistei o direito de estar errado,
Os meus erros me tornarão forte
Estou avançando no grande desconhecido,
Eu sinto que tenho asas apesar de nunca ter voado,
Eu tenho uma mente própria,
Eu sou de carne, sangue e osso,
Eu não sou feito de pedra!
Direito de errar,
Então me deixe em paz!
Eu conquistei o direito de errar!
Eu estive pra baixo por muito tempo,
Eu queria ser livre
Então eu finalmente respirei,
Eu conquistei o direito de estar errado,
Cantar minhas próprias canções,
Eu pude cantar fora do ritmo,
Mas certo, é bom pra mim,
eu tenho o direito de errar,
Apenas me deixe em paz
Você pode dar sua opinião,

Mas a decisão realmente é minha,
Eu não posso retornar na minha missão,
Se você não se importa, não embasse minha visão,
Me deixe ser tudo o que posso ser,
Não me desmotive com pessimismos,
Qualquer coisa lá fora que está à minha espera
E eu estou disposto a enfrentar
Então apenas me deixe em paz!”

Música de Joss Stone (Right To Be Wrong)

Silêncio....


Silêncio...

Sabe há alguns dias eu estou com um nó na garganta. Gostaria de falar mais, agir mais, sonhar menos, planejar menos, enfim, viver o presente e que o presente seja algo mais importante que o futuro.
De uma coisa eu sei, todos passam por dilemas, questionamentos, porém a forma de enfrentá-los é pessoal. Portanto, não me julgue pelos meus erros, pelos meus acertos...antes de tudo você precisa me conhecer, saber o que eu penso...

Acredito esse post não vai ser compreendido por muitos, ou até mesmo por quase ninguém, mas isso é importante?? Só a minha alma desabafando....

"Passamos toda a vida nos preocupando com o futuro. Fazendo planos para o futuro. Tentando prever o futuro. Como se desvendá-lo fosse aliviar o impacto. Mas o futuro está sempre mudando. O futuro é o lar dos nossos medos mais profundos e das nossas maiores esperanças. Mas uma coisa é certa: quando ele finalmente se revela, o futuro nunca é como imaginamos”

sábado, 22 de janeiro de 2011

Mudança, tranformação e decisão !





"Quando dizemos coisas como 'as pessoas não mudam', deixamos os cientistas loucos. Porque a mudança é literalmente a única constante da ciência. Energia, matéria... Estão sempre mudando. Transformando-se... Fundindo-se... Crescendo... Morrendo. O modo como as pessoas tentam não mudar que não é natural, como queremos que as coisas voltem em vez de as aceitarmos. Como nos prendemos a velhas memórias, em vez de criarmos novas. O modo com insistimos em acreditar, apesar de todas as provas contrárias, de que algo nessa vida é permanente. A mudança é constante, como experimentamos a mudança... depende de nós. Pode parecer a morte, ou uma segunda chance. Se relaxarmos os dedos... nos desapegar. irmos em frente... Pode ser adrenalina pura. Como se a qualquer momento tivéssemos uma nova chance. Como se a qualquer momento...Pudéssemos nascer de novo. "

Coisas do Cotidiano




Caramba, já tem um tempinho que não escrevo, aliás, um tempão...
O final de ano foi muita correria: monografia, visitas de familiares, formatura, saídas, namoro... Enfim, coisas da vida cotidiana. Ah! Também, me afundei nas redes sociais, twitter e facebook, esqueci até do Orkut.
Mas, senti falta de escrever coisas por aqui.
Hoje não quero escrever muita coisa, só sobre mim mesmo... Estou passando por um momento de muita ansiedade, recém formado, acho que isso é normal para todos. Estou a procura de emprego, dentre outras coisinhas muito pessoais e que não são para ser expostas ainda!
Apesar de tudo, me sinto feliz, realizado em várias coisas, amizades, formação, porém não desisto de prosseguir.
Enfim... , esse foi um resumo desse tempo que eu estava sumido, prometo escrever mais coisas!  Vocês que gostam de ler as minhas “doideiras” viram mais!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Um Alerta




Você já parou para pensar: com o que você se relaciona.
Bem, esse dias eu me deparei com esse questionamento.
Então comecei a perceber que na maioria dos meus relacionamentos sempre estavam
coisas, tipo: essa pessoa tem isso, essa pessoa é assim. Ou seja, coisa e rotulo.
Me esqueci que nos relacionamos com pessoas e não com coisas.
Parafraseando Karl Marx...nossos relacionamentos são relacionamentos sociais e não entre coisas.!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010