quarta-feira, 25 de abril de 2012

EU amo esse espaço. Amo demais. Aqui eu sinto que posso ser livre. Escrever me proporciona isso!!! Momentos bem difíceis esses últimos dias. Coração bem apertadinho, choro contínuo...Pois é aconteceu a perda Perdi, talvez não lutei demais, talvez não fui o suficiente, talvez eu fui o culpado, talvez, talvez e talvez Eu só sei que paralisei, errei, não fui, deixei, escapou!!! A dor da perda é imensa, agredido que seja igual ou pior que a traição? Enfim, a dor é tão pessoal! Sabe anos lindos, foram dois, mas lindos, intensos, superadores, verdadeiros... Eu não posso relatar aqui um momento triste, nenhum mesmo, sabe por quê? Porque todos os maravilhosos ao seu lado foram capazes de superar quaisquer outros, poucos tristes. Desabafos, falatórios, choros, implorar, joelho....nada disso pode mudar a situação ou reverter a sua decisão. Eu sei, tô prolongando algo que não deveria ser prolongado. Você desliga o telefone e eu entro em desespero. Você sabia? Meu arrependimento é sincero capaz de mudar a situação e reverter a sua decisão. Contudo, não é o suficiente, eu sei! Percebi, alias muito mais que isso, eu sinto, eu vivo, tá vivo, pulsa...Te amo e amo de verdade. Caramba, como eu vivi feliz como fui completo, como ir na padaria, ao supermercado, cinema e cama era completo e jeito de ternura, paz... Abri mão e você foi... Muito desespero, imaturo, infantil, confuso...sim perdi... Difícil nesse ponto, não tem como esconder as lagrimas elas estão aqui no teclado... Aqui nessa casa tudo lembra de você, desde o gato que eu nunca quis até o lustre. O lustre, esses dias eu fiquei olhando para ele e vendo você tirando-os cuidadosamente. Como você foi lindo, foi sincero, foi amoroso, foi verdadeiro. Como me dói saber que perdi, como me dói saber que não tem volta, como me dói... Leonardo Manyk

Nenhum comentário:

Postar um comentário